Quadrilha de assaltantes sequestram a família do gerente do Banco do Brasil e roubam a agência em Governador Nunes Freire

Por 22 de junho de 2015 Notícias

bbgnfBandidos armados assaltaram a agência do Banco do Brasil de Governador Nunes Freire durante a madrugada desta segunda-feira, 22, mas o crime teve início durante a noite deste domingo 21, por volta das 20h, onde cerca de dez criminosos em dois veículos invadiram a casa do gerente conhecido como Washington e renderam sua família.

Conforme as primeiras informações, o gerente e a família estavam na missa e foram rendidos ao chegar à residência.  Cerca de seis homens ficaram com família do gerente, a esposa e mais quatro filhos dentro da casa mediante ameaça de armas, enquanto os outros acompanharam o gerente até o banco para abrir o cofre e pegar o dinheiro.

Após o gerente entregar o dinheiro do cofre da agência, os bandidos fugiram com a família do gerente, vindo a abandonar a mesma próximo ao município de Santa Helena. Porém, ninguém ficou ferido.

A agência do Banco do Brasil foi fechada e não há informações sobre a quantia de dinheiro levada pelos ladrões. Os criminosos fugiram em dois veículos identificados pelo gerente como uma L200 branca e um fiesta vermelho. A polícia já está investigando o caso.

Fonte: http://mayconalves.com.br/quadrilha-armada-rende-familia-de-gerente-e-depois-rouba-agencia-do-banco-do-brasil-de-governador-nunes-freire/

Você pode gostar também

Funcionários da Operadora OI em Santa Luzia do Paruá, se beneficiam financeiramente de esquema que lesa consumidores de fixo e internet Velox na cidade

Por 22 de junho de 2015 Notícias

 

 

Do Blog a cidadedeverdadeoiPor não compactuarem com os vencimentos recebidos mensalmente, os funcionários da Operadora OI em Santa Luzia do Paruá resolveram adotar um esquema tipicamente brasileiro, para aquisição de dinheiro fácil. Resolveram cobrar dos luzienses por serviços que são obrigação da própria equipe de suporte da Operadora na cidade. Através de práticas que ferem o Código de Defesa do Consumidor, alguns servidores da OI em Santa Luzia do Paruá chegam a ganhar o dobro do salário através de um esquema que beneficia a muitos e que se perpetua há anos pelo interior do Maranhão. Pequenos serviços como a mudança de uma linha para outro ponto da cidade chegam a custar algo em torno de R$ 100,00, a mesma eficácia não é mantida caso o cliente opte por não pagar esta taxa e solicitar o serviço pela Central da operadora, a conclusão desse simples tipo de serviço pode demorar dias e porque não dizer meses. Para serviços de reparo na linha, caso o consumidor opte por esperar a resposta do chamado, é melhor o mesmo esperar sentado e bem alimentado já que os técnicos da operadora na cidade não fazem a mínima questão de adiantar serviço, mas caso o cliente aceite pagar por valores que giram em torno dos R$ 100,00, então provavelmente o problema ganha soluções imediatas. Vale lembrar que neste ano, o Procon do Estado oficializou e divulgou uma lista com as empresas que detiam o maior número de reclamações por porte dos consumidores e como sempre a Operadora OI não poderia ficar para trás, alçando a primeira posição no ranking negativo no Maranhão, a empresa também está entre os primeiros no ranking negativo emitido pelo site de reclamações ReclameAqui.

O usuário de telefonia fixa ou cliente Velox em Santa Luzia do Paruá que quiser ter o seu problema “solucionado” precisa na grande maioria das vezes desembolsar altos valores para pagamento de funcionários da OI, que não estão fazendo nada além do que, prestando um serviço que pelo Código de Defesa do Consumidor é obrigatoriamente exigido da operadora e de seus técnicos.
Alguns destes profissionais quando consultados, repassam números pessoais de profissionais que atuam em centrais de telemarketing como a PROSPECT, que prometem ajudar o cliente a adquirir ou acelerar a contratação de uma linha de fixo ou internet Velox, porém o que poucos sabem é que estes profissionais recebem comissão por cada indicação de cliente realizada. Ao serem direcionados para alguns facilitadores, o cliente se torna vitima da venda “casada com a UOL” ou com outros serviços, chegando a receber propostas como a de aquisição de provedores e outras que nada tem a ver com o serviço requerido pelo cliente. Muitos consumidores luzienses como resultado, denunciam através de faturas as diversas cobranças indevidas por serviços que sequer solicitaram.
Art. 39 do Código de Defesa do Consumidor ressalta que é vedado ao fornecedor de produtos ou serviços, dentre outras práticas abusivas: (Redação dada pela Lei nº 8.884, de 11.6.1994)
I – condicionar o fornecimento de produto ou de serviço ao fornecimento de outro produto ou serviço, bem como, sem justa causa, a limites quantitativos;
II – recusar atendimento às demandas dos consumidores, na exata medida de suas disponibilidades de estoque, e, ainda, de conformidade com os usos e costumes;
III – enviar ou entregar ao consumidor, sem solicitação prévia, qualquer produto, ou fornecer qualquer serviço;
IV – prevalecer-se da fraqueza ou ignorância do consumidor, tendo em vista sua idade, saúde, conhecimento ou condição social, para impingir-lhe seus produtos ou serviços;
V – exigir do consumidor vantagem manifestamente excessiva;

Outro problema derivante desse esquema usado para beneficiar financeiramente os funcionários da OI na cidade é o sinal de internet distribuído para muitos usuários. Não existe um controle adequado dos procedimentos de manipulação das portas na Central que fica localizada na Rua do Sol ou seja, enquanto alguns informam serem beneficiados com internet de qualidade e velocidade estável ao garantirem pagar mais por esses serviços, outros se veem prejudicados com a diminuição ou “furto” de sinal. A OI por diversas vezes tentando resolver esses “pepino” adotou a prática de resetar todo o sistema, assim quem pagava a mais pra ter internet com velocidade superior perdia a “gentileza” adquirida, mas pouco adianta se não existem meios administrativos para coibir aos tais que se utilizam dessas práticas. Em contato com a direção do Procon no Maranhão, a instituição reconheceu que muitas ações fiscalizatórias precisam ser feitas com o objetivo de coibir essas práticas fraudulentas, mas informou que está trabalhando para punir as empresas que não criarem mecanismos eficazes de combate a ações errôneas que sempre terminam por lesar o consumidor que paga o exigido pelo serviço mas que não é respeitado como deveria.

Fonte: http://www.acidadedeverdade.com.br/2015/06/your-link-here

 

Você pode gostar também

Vídeo mostra momento exato em que um motociclista é covardemente assassinado

Por 29 de maio de 2015 Notícias

[Atualizado às 18:58]

No final da tarde de ontem quinta-feira 28/05, no Município de Vitória do Mearim, 180 km de São Luís, dezenas de pessoas testemunharam um assassinado em via pública, cena pavorosa que não será esquecida tão cedo pelos moradores da região. O crime aconteceu nas proximidades da praça Nossa Senhora de Nazaré, na entrada que segue para cidade de Viana.

De braços abertos, um homem ainda não identificado vestido com uma bermuda jeans e camisa vermelha, agoniza no acostamento da estrada, sendo observado por diversos populares.
Homem agoniza quando surge um sujeito de bota preta e farda militar que saca uma pistola atira duas vezes na cabeça da vítima, as pessoas em volta do homem argumentam que ele ainda está vivo, momento que uma pessoa se aproxima e coloca a mão no pescoço da vítima para confirmar se os batimentos estão normais: “O cara está respirando”, revela o morador. Quando de repente surge um homem de bota preta e calça de militar. De modo hostil pisa na cabeça do homem ferido, empurrando de um lado para o outro, parece querer se certificar do estado de saúde. Percebe que a vítima mesmo desacordado está com vida, instante que saca uma pistola e encosta no rosto do homem caído e dispara duas vezes a queima roupa. A cena assustadora surpreende as dezenas de testemunhas que saem correndo em pânico sem entender ao certo o que estava acontecendo.
Após o crime, as pessoas que filmavam o corpo na beira da estrada informaram que atirador tomou rumo desconhecido. As testemunhas também não souberam precisar sua identidade.

Versões

Segundo informações obtidas pelo blog, a vítima é natural na Cidade de Arari e fugiu de uma blitz de rotina da polícia militar em Vitória do Mearim com reforço policial da cidade de Viana. Até agora ninguém sabe se o executor é um policial, vigilante fardado ou um soldado do exercito. A polícia diz se tratar de um vigilante, no entanto, não revelou o nome. Outra versão corrente na Cidade é de que a vítima – motociclista – não teria parado na blitz, a PM atirou nele e continuou em uma perseguição a outro suspeito que também fugiu. Foi então que apareceu esse sujeito [assassino] e atirou na vítima.

Atualização:

pm que matou homem a sangue frio

O corpo da vítima já sem vida, foi colocado na viatura junto com a outra vítima ferido no pé. E do lado da viatura, o vigilante Luiz Carlos usa colete da polícia militar e age como um PM.

Foi identificado o assassino e a vítima que teve a vida ceifada na tarde de ontem (28). A vítima foi o mecânico montador Irinaldo Batalha, 34 anos,na proximidade do praça Nossa Senhora de Nazaré, Município de Vitória do Mearim. O executor do crime que abalou a cidade é o vigilante identificado por Luiz Carlos, funcionário da Prefeitura Municipal. Ele estava com um colete da polícia junto com os policiais militares no momento que os “suspeitos” furaram a abordagem policial. Irinaldo Batalha morador da Rua Lourenço da Cruz Bogea, Município de Arari, saiu de casa na garupa de uma motocicleta com um amigo identificado como Diego, para assistir um jogo de futebol, os dois seguiram até a Cidade de Vitória do Mearim.

Por volta das 16h30 foram surpreendidos por uma blitz perto do Posto Lopes, na praça Nossa Senhora de Nazaré. Eles desobedeceram a ordem de parada na barreira da polícia e seguiram em alta velocidade.

Nesse momento, o vigilante Luiz Carlos atirou contra eles, vindo a acertar as costas e a cabeça do garupa que caiu da moto e foi arrastado por mais de 20 metros, quebrou a perna e bateu com o rosto no chão. O condutor [Diego], foi atingido com um tiro no pé.

Segundo os familiares das vítimas, populares foram impedidos de prestar socorro aos feridos. A família ainda sustenta que com eles não foram encontradas armas, drogas ou objeto de furto.

A Secretaria de Estado da Segurança Pública emitiu uma nota na tarde desta dexta(29). Afirmando que a Polícia Militar realiza diligências para prender o vigilante suspeito de execução, que se evadiu do local. A polícia também determinou a imediata apresentação dos policiais militares, que atenderam a ocorrência ao Comando Geral da Polícia Militar para apurar as circunstâncias em que ocorreu toda a operação e adotar as providências legais que o caso requer.

Você pode gostar também

Presos membros de quadrilha envolvida em sequestros, estelionato e fraude no INSS

Por 12 de abril de 2015 Notícias

A polícia prendeu membros de uma quadrilha, envolvida em sequestros, estelionato e fraudes no INSS, no município de Apicum-Açú.

Um cativeiro foi estourado na quarta-feira (08) na zona rural da cidade, pela Polícia Civil de Bacuri, em parceria com a Polícia Militar de Bacuri e Apicum-Açu, as diligências do caso se encerraram nesta sexta-feira (10). Na ação, quatro pessoas vinham sendo mantidas reféns e duas pessoas foram presas em flagrante pelo sequestro. No entanto, as vítimas que estavam com a liberdade cerceada, foi comprovado após diligências, que faziam parte de uma quadrilha especializada em estelionato junto à previdência social. Eles também foram presos em flagrante por estarem de posse de vários documentos com suas fotos, mas com dados de outras pessoas, bem como extratos de créditos junto ao INSS.

expedito-preso

Ao todos, foram presos, Maria Mary Gatinho e Joberval Ferreira Coelho pelo sequestro; José Valdir Miranda Pereira, Isaías Soares Marques, Expedito Lopes da Silva(o Expedito da Luz Vermelha, Maranhãozinho) e Conceição Nazareth Ribeiro por estelionato e associação criminosa. E apreendidos diversos documentos e um veículo. Todos estão à disposição da justiça.

Um dos reféns vinha se passando junto ao INSS, inclusive, pelo pai do principal sequestrador, falecido há aproximadamente seis anos. Ele sacaria um benefício previdenciário acumulado no valor aproximado de R$100 mil.

De acordo com informações do titular de Bacuri, delegado Guilherme Luiz, houve um desacerto e o filho do falecido, com outros envolvidos, resolveram tomar os quatro membros da quadrilha reféns para forçar outro membro, integrante do grupo dos estelionatários, responsável por coordenar a retirada do dinheiro a aparecer para que pudessem pegá-lo juntamente com o dinheiro. Mensagens de celular dão conta que a intenção era capturar este outro integrante, matá-lo e ficar com todo o dinheiro.

Informações do Idifusora.com

Mais informação, a qualquer momento…

Você pode gostar também

Ditador da Guiné repassou R$10 milhões para a Beija Flor, através de empreiteiras investigadas pela Lava Jato.

Por 19 de fevereiro de 2015 Notícias

E tudo não passou de mais um plano mirabolante, pelo menos é o que as informações levam a crê. A polêmica por ter o desfile patrocinado pela ditadura da Guiné Equatorial, um dos carnavalescos da Beija-Flor, Fran-Sérgio Oliveira, afirma que os R$ 10 milhões recebidos para a preparação do desfile da Beija Flor, saíram de empresas brasileiras que têm obras no país africano, que estão na lista suja da Lava Jato, por tanto tem muita poeira debaixo desse tapete. Ele citou ainda, o nome das empreiteiras Queiroz Galvão e Odebrecht, envolvidas em denúncias da Operação Lava-Jato, e do grupo ARG. A equipe da GLOBO tentou entrar em contato com as empresas, mas nenhuma retornaram as ligações.

– São mais empresas, essas são as que eu sei. O governo da Guiné não nos deu dinheiro, e sim apoio cultural. Eles nos cederam livros, fotos e outros materiais. É um povo (da Guiné) que sofreu muito e que, através do seu presidente, está construindo um país novo, que pensa em saúde, infraestrutura, saneamento básico. O povo é superfeliz com isso, então não importa o regime – afirmou.

A  comitiva do presidente Teodoro Obiang , que já ostenta 35 anos no poder, pagou cerca de R$ 120 mil pelo aluguel de dois camarotes na Sapucaí, é mole.

Você pode gostar também

Facebook login by WP-FB-AutoConnect